quarta-feira, dezembro 21, 2005

Sangue na Guelra!

O título virá depois.

Primeiro deixo correr as palavras, vejo em que sentido seguem, e só assim sei titular este arrazoado da escrita.

Lembro-me, de repente, da força que tenho. Das pedras que vou arredando do caminho. Da volta que dou aos espinhos das rosas que me dão.
Aprendo a pegar-lhes, cheirá-las, sem me picar. O sangue é meu e não é para perder em lenços de papel absorventes. Faz-me falta, na guelra.

6 comentários:

Pinto Ribeiro disse...

pois ka seja à pidrada. Boa noite, Dinada. Bjinho.

Pólux disse...

Nas as deixes dormir, Dinada... as palavras!

Levanta-as... das pedras do caminho, do deserto solitário, da superfície das coisas...

Beijinho

Ana disse...

Guelra?
Sua peixa! :-)*

Inha disse...

Grande post!

Ai não que não faz falta!;)

Bom dia e beijo!:D

Pinto Ribeiro disse...

Bom dia Dinada. Tá tudo bem, Moça?...bjinho.

Dinada disse...

Olá meninos todos. Bom dia cheio de sol!

Atirei um calhau no poste acima, viram??

:D