sexta-feira, dezembro 30, 2005

Histórias Paralelas da Minha Família

João Victor da Silva Brandão









João Victor da Silva Brandão -" O João Brandão" - nasceu no dia 1 de Março de 1825, no Casal da Senhora, e foi baptizado na Igreja de Midões, no dia 26 do mesmo mês, sendo seus padrinhos Roque Ribeiro de Abranches Castelo - Branco (meu tetra
-avô),
que fez parte da Junta Revolucionária, que preparou, no Porto, a revolução de 24 de Agosto de 1820, e que, pêlos serviços prestados à causa liberal, nesta época, e depois de 1833, lhe foi concedido o título de Visconde de Midões (o solar é hoje lugar das nossas férias de Verão), e a sua esposa D. Júlia, sendo o assento lavrado pelo vigário Araújo Nogueira. Aprendeu as primeiras letras com o professor de Midões, Bento Inácio Duarte de Almeida, que mais tarde veio a ser seu declarado inimigo, indo depois para Cabanas, aprender os primeiros elementos da língua latina com o célebre vigário Joaquim Miranda, revelando sempre uma inteligência viva e penetrante, servida de especiais dotes de carácter, que, se tivessem sido bem orientados, muito bem se poderia elevar acima do vulgar, e ter-se feito um cidadão útil à sua pátria, em vez de uma vítima expiatória dos crimes do seu tempo. Casou em 1863 com D. Ana Eugenia de Jesus Corrêa Nobre, senhora distinta, que lhe foi dedicada até à última, e que era possuidora de regular fortuna, que lhe firmou a convivência íntima com as famílias respeitáveis, que o recebiam com particular deferência, tomando parte nas festas e nos infortúnios, revelando-se sempre um cavalheiro distinto e gentil. Envolvido de novo nas lutas liberais condenado por um crime.

(texto retirado do google, mas não faço ideia donde...sorry)

20 comentários:

Pólux disse...

Amiga Dinada,

Tens todos os motivos para te sentires orgulhosa do teu tetravô. Os meus parabéns à tetraneta, pelo grande Liberal que foi o seu tetravô.

Muito confuso e duvidoso este texto do Google.

O que se segue deve estar correcto:

Foi 1º Visconde de Midões Roque Ribeiro de Abranches Castelo Branco, bacharel formado em direito pela Universidade de Coimbra, par do Reino (1834), senhor das casas de Midões, Cabanas, Travanca de S. Tomé, Várzea de Cavalos, Travanca de Lagos,Arganil, S. Martinho da Cortiça e Pombeiro.

Nasceu em Midões a 15 de Julho de 1770 e faleceu a 6 de Abril de 1744, sendo filho de Luís Ribeiro de Abreu Castelo Branco, fidalgo cavaleiro da casa real, cavaleiro professo na Ordem de Cristo, familiar do santo Ofício, e de sua mulher, D. Teresa Leonor de Vasconcelos Sotomaior de Mendonça (da casa de Santa Eulália), junto a Seia.

Tomou parte muito activa na Revolução de 1820, tendo sido declarado pelas Cortes “Benemérito da Pátria”. Foi deputado da nação em repetidas legislaturas.

No tempo de D. Miguel, as suas opiniões liberais valeram-lhe violenta perseguição, sendo os seus bens confiscados.

Casou, a 8 de Stembro de 1806, com D. Rosa Inácia de Araújo e Azevedo, irmã do ilustre político e ministro de Estado, 1º conde de Barca, António de Araújo e Azevedo. (…)


Fonte: Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira

A verdade acima de tudo.

Beijinhos.

Dinada disse...

Obrigada, querido Pólux...

:)

Pólux disse...

Dinada,

Ainda aqui volto, dado que fiquei a cismar na última parte do texto do teu "pos":
"... Envolvido de novo nas lutas liberais condenado por um crime.

Muito estranho o que ficou escrito.

Talvez o texto esteja truncado e quem o escreveu pretenda referir-se ao João Brandão:

"Eis o que diz a Enciclopédia Port. e Bras. acerca desta energúmena figura:

"João Brandão: nome por que ficou conhecido João Vítor da Silva Brandão, celebérrimo salteador e assassino que durante muito tempo foi o terror da Beira-Alta. Nasceu em Midões e era filho do ferreiro Manuel Brandão, homem de péssimos instintos e de carácter violento e feroz. (...)
De criança João Brandão se revelou criminoso e aos 12 anos cometeu o primeiro homicídio na pessoa dum inofensivo pastor da Serra de Gouveia, que prostrou com um tiro de bacamarte como mero exercício de pontaria.
(...) Só em 1866, portanto só depois de muitos anos de crimes e de impunidade, foi preso e condenado (...) pelo assassínio do Padre José da Anunciação Portugal.
(...) Foi condenado a degredo em África (...) onde consta que morreu em 20 de Set. de 1880.

A forma como foi elaborado aquele texto presta-se a grandes confusões.

A verdade, acima de tudo.

Com um beijinho

Al Mutamid disse...

Dina
Mais uma informação... provavelmente desnecessária... sobre o teu tetra-avô podes encontrá-la aqui neste sítio:
http://genealogia.netopia.pt/titulos/tit_show.php?id=778
A tão ilustre descendente mais uma vez um Bom Ano 2006

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Keep up the good work »

Anónimo disse...

Polux

Nasceu em 1770 e faleceu em 1744???
Deve ser um milagre

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Awesome post.

Here is my site - Exchange virtapay

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.