quinta-feira, julho 26, 2007

Criar

O que se pode ainda criar sem ser detrito?

Que matéria nova há a acrescentar àquela que já há?

Etérea, haverá.
Como um escrito, uma pintura, uma escultura, um rasgo de genialidade qualquer.

Aglomerado de átomos e moléculas, isso? Está tudo feito.

A não ser aquele bebé,
Que acabou agorinha de nascer.

Aquele ser em que nem mãe nem pai tiveram a menor intervenção, embora se convençam que sim.

Talvez porque o grito do orgasmo simultâneo (raro), atingido há nove meses atrás foi motivo de briga com o vizinho do 2º direito.

Ficam felizes com o resultado que, sendo-lhes alheio, os enche da emoção da perfeição atingida.

A vida é assim, com truques que nos fazem perpetuar a espécie, dando-nos a ilusão de sermos deuses maiores de qualquer coisa. Nem que seja isto: a continuação do mundo.

2 comentários:

sniqper disse...

A continuação do Mundo...feita tantas e tantas vezes depois de uma discussão...e mesmo assim ainda vivemos na ilusão que somos n´so que mandamos na Vida...

Bjs
sniqper

cm disse...

...efémero é o sorriso pois a vida começa com choro...mas das lágrimas brota vida...e sal.

um abraço