sexta-feira, dezembro 29, 2006

A Natureza Também se Engana...

«Feminina»


Eu queria ser mulher para ter muitos amantes
E enganá-Ios a todos - mesmo ao predilecto -
Como eu gostava de enganar o meu amante loiro, o mais esbelto,
Com um rapaz gordo e feio, de modos extravagantes...
Eu queria ser mulher para excitar quem me olhasse,
Eu queria ser mulher para me poder recusar...

Mário de Sá Carneiro


Este poema, tão duro quanto desesperado, representa para mim qualquer coisa paradoxal, uma ambiguidade de sentimentos.


É escrito por um homem.
Mas poucos escritos que conheço, nascidos do género oposto, apresentam um tão nítido código feminino.

Génio, este poeta que se enganou no corpo.

4 comentários:

Luna disse...

Minha querida, se não nos "virmos" mais: Bom Ano!
Beijinhos

Dinada disse...

Já passei por tua casa:)

Desejando-te o mesmo.

Beijo!

Anónimo disse...

Acabo de chegar da Doce-Mar, com uma caixa cheia :)))
Já não são como antigamente, mas ainda são muuuuito bons.
Tudo de bom para ti em 2007.
Beijos,
O Anónimo

Dinada disse...

Ó Anónimo, já paravas de me irritar, pah...
É que marchava um croissant agorinha mesmo.

Depois, tu...tu!