quarta-feira, maio 04, 2005

Razão e Aprendizagem

Aprende-se todos os dias, basta estar atento e focalizado.

Razão absorvia com avidez todas as horas do dia, fosse ajudando a mãe nas tarefas domésticas, fosse numa qualquer brincadeira.

Era observador e analítico o que fez que, quando chegasse o momento de ingressar na Escola (aquela outra, formal, em que o bibe se impunha), levasse com ele uma relativa vantagem em relação aos outros pimpolhos agarrados à saia das mães.
A sua, doce e presente, foi naquele 1º dia ausente, por puro mau feitio duma patroa enrezinada e prepotente. Mas isso foi coisa que Razão percebeu e que não lhe deixou marca.
Começava para ele uma nova etapa importante que, sabia, lhe traria um mundo completamente novo: o das letras com sentido.

Aprendeu a ler em três tempos. Era um aluno aplicado e rapidamente se tornou um dos alunos favoritos da professora Rosário, mulher com muitos anos de profissão que cedo percebeu ter ali, em Razão, um desafio maior que os outros...

2 comentários:

Pêndulo disse...

Ai como eu consigo ser tão chato. lolololol.
"agarrados à saia das mães."
Se são vários pimpolhos e várias mães serão diversas saias. Portanto:
"agarrados às saias das mães."

Eu tinha que arranjar qualquer coisa para pegar. Custou !
Espero avidamente a continuação da história do menino Senso :p
As beijocas do costume ***

AmigaTeatro disse...

'tão, isto é assim?! estou à espera da continuação, vá!!!
- estou a gostar. :)


(já agora "bebé" só tem um acento, com dois é "abrasileirado" ;)

jinhos*