segunda-feira, dezembro 20, 2004

Circunstâncias Felizes!

Há coisas do arco da velha. Haja velha, e arco.

Um dia achei que tinha chegado o fim. Há uns 4 anos atrás, sentada no sofá, da minha casa. Era (será ainda mas já não minha) uma casa soalheira e ampla, ali aos Anjos, perto da Embaixada de Itália.

Antes de prosseguir o assunto que me levou a abrir este post, confesso aqui, publicamente, que uma vez arranquei o retrovisor do VW Golf da 'ministra' italiana (para quem não domina a língua de César, 'ministra'=embaixadora), numa manobra pouco hábil ao volante do meu pópó. Como pessoa honesta que sou, perdi uma manhã inteira na Embaixada a explicar isso, a uma cambada de italianos (por acaso lindos de morrer), que não percebiam patavina do que lhes dizia.

Essa casa é mágica e doeu-me muito vendê-la.

Um dia, acho que por excesso de amor à dita, fiquei impossibilitada de sair dela. Nem por nada transpunha a porta, que me separava do resto do mundo. Deixei de conseguir trabalhar, de ir às compras, de passear, enfim, reduzi-me aos 130 m2 de área útil, excluindo um jardim lindo de calçada portuguesa, com um frondoso limoeiro que me dava a sombra e que me acolhia quando precisava de luz natural.

Podia ser uma situação romântica, mas não. O diagnóstico adiantado foi tudo menos doce: síndrome de pânico.

Tratável, disse o psi. Acreditei.

Já lá vão 4 anos, consegui sair e voltar a trabalhar. Consegui até vender essa casa e mudar-me para um bairro melhor. O síndrome, esse malandro, persistiu até hoje, mais ou menos camuflado.

A parte boa: acredito que é agora que o mando pastar...ó se mando!

Vão ver, pahs!

Deve ser por estar feliz...

:)

9 comentários:

Anónimo disse...

Mas por essa altura estavas para ou já tinha até...

É vulgar nessas situações. Hormonas.
Mandam muito em nós.
Por mais que queramos ser racionais o lado animal impoem-se.
Desde as situações de stress que nos fazem ferver quando estamos fragilizados e que enfrentamos calmamente quando estamos melhor às depressões em tudo o corpo manda muito na mente.

nick

Ana disse...

Agorafobia,miúda?
É terrível, isso.
Toma um beijo.

Anónimo disse...

O mais admiravel é que eu a conheci (apenas "netianamente") vai para 4 anos atrás, mais mês menos mês. Devia ela estar a sofrer desse sindroma e apesar disso mostrava um notavel bom-senso.

considera-te osculada
toing

nick

AmigaTeatro disse...

Oh, mas às vezes faz bem mudar... outras, quando a mudança foi um erro, não vale a pena olhar para trás e imaginar como as coisas teriam corrido se se tivesse tomado outras decisões; escolhido outros caminhos.

Um beijo para ti, Ditudo!! =))*

Pêndulo disse...

Que seja desta sua tontinha...
:) *** Tóing

Anónimo disse...

desculpa a impertinência: síndrome ou síndroma não é feminino?

Dinada disse...

'Provocadeiro'...

:p

Anónimo disse...

Essa do provocadeiro não era comigo, pois não? ;-)

Dinada disse...

Peracasus era!

:p