domingo, março 13, 2011

Não, Nunca me Esqueço de Ti

No dia do teu quarto aniversário tiveste todos os mimos, pois foi?

Só que não pus aqui a referência que gosto de por a esta data, 11 de Março.

E também não pus prova da tua beleza, do teu porte, da cadela mais bela em que te tornaste, sem pejo de modéstias.

És, para além de tudo, a mais verdadeira criatura que conheci, que amamos todos muito (mesmo o mais empedrenido coração com que te cruzas não te resiste e te sorri), porque impossível não ver a verdade nesse teu olhar cor de mel, sempre doce.

Nunca me vou esquecer da ajuda genuína que desta a esta família a recompor-se nos afectos, a rir no meio dos ambientes pesados, a fazer saltar a gargalhada no meio dos amuos.

O apoio ao meus mais pequenos numa altura tão difícil em que perderam o chão.
Os milagres do teu amor.

Além disso, top-model que és, rejeitas os da tua espécie porque te achas nós.
É mau, muito mau, já te expliquei.
Falo, tu responde à foca mas sei que entendes.

A tua Sorte, Mousse, e acredita que é a sorte grande, é que segundo a lei da natuteza irás primeiro.
Nunca sentirás a solidão e tu sabes que isso sempre esteve prometido.

Terás mimo até ao último suspiro, o que muito de nós humanos não temos garantido.

Mas vamolá mazé animar.

Olha para ti, linda de morrer aqui exposta para as três pessoas que me lêem e que vão gostar de te ver e, se calhar, até 'piropotiar-te' :)

2 comentários:

L. disse...

Está uma senhora toda gira!

Senhora_d0_Lago disse...

Hoje leram-te quatro pessoas. Felicidades!